top of page
  • Foto do escritorEduardo Amorim

O dia em que minhas garrafas explodiram


No começo de minha caminhada cervejeira, quando eu tinha pouco conhecimento com relação à fermentação, eu fiz uma cerveja que, literalmente, foi um estouro!!!

Imagem: http://www.condadodacerveja.com.br/como-fazer-a-carbonatacao-da-cerveja-artesanal/

Por volta de 2014 eu preparei um mosto que fermentou muito rápido. O airlock parou de borbulhar já no 3º dia.

Como eu pensava que fermentação deveria durar 7 dias, achei muito estranho a atividade ter parado tão cedo. Assim, concluí que o fermento não estava bom e que a fermentação não tinha chegado ao fim. Minha solução foi abrir o fermentador e despejar um segundo pacote de S-04 recém comprado. Detalhe: eram apenas 8 litros de mosto.

No dia seguinte o airlock já mostrava atividade novamente, que durou 3 dias. Após esse período eu considerei a fermentação finalizada.

No dia seguinte (total de 7 dias de fermentação) eu fiz o envase usando cerca de 6g/l de açúcar no priming. Tudo perfeito ... só que não...

Passados 10 dias do envase eu cheguei em casa e senti um cheiro gostoso e preocupante de cerveja no ar.

Olhei ao redor e vi uma mancha de mosto no chão próximo ao pé da geladeira.

Na hora eu imaginei que um fermentador, de uma outra brasagem e que estava dentro da geladeira, havia vazado. Eu abri a geladeira e nada.

Caraca! De onde veio essa mancha ?! E esse cheiro?!?!

Foi então que lembrei que aquelas garrafas, daquele fermentador que eu achara que não havia fermentado, estavam no armário acima da geladeira. Dito e feito! Vi a mancha que escorria do armário para a geladeira e depois para o chão. Que meleca! Provavelmente uma garrafa estourou!

Abri a porta do armário para ver o estrago e, assim que o fiz, uma garrafa saiu rolando, caiu na parte alta da geladeira e depois veio ao chão perto do meu pé.

Assim que a garrafa caiu no chão ela explodiu e espirrou líquido até o teto. Cacos de vidro se espalharam pela casa, um foi parar lááá no sofá da sala, em cima do meu filho, que estava deitado: “Papai, um vidro veio parar aqui!!”. Outros cacos foram pra dentro dos quartos.

Por (MUITA) sorte, ou proteção divina, nenhum caco subiu diretamente ao meu rosto. Não tive nenhum corte.

O que houve foi que uma garrafa estourou dentro do armário (dela que veio o vazamento que escorreu pra geladeira) e, com o estouro, derrubou outra garrafa, que apenas deitou e ficou escorada na porta do armário. Assim que eu abri o armário, essa segunda garrafa rolou.

Além disso, elas estouraram porque estavam com, praticamente, o dobro de leveduras necessárias e, ao receberem priming, digamos, em quantidade ‘normal’, isso carbonatou a cerveja muito além do necessário.

A fim de evitar outros estouros eu retirei as demais garrafas e, com muito cagaço e cuidado para que não estourassem na minha mão, coloquei-as sobre a pia e abri, uma a uma. Mas abri só um pouco, levantei a tampinha só o suficiente pra ouvir um tssss e aliviar a pressão. Depois fechei as garrafas, apertei de novo no arrolhador e parti pra limpeza da cozinha, sala, quartos, cachorro etc.

Depois de mais uns 15 dias, e nenhuma nova explosão, experimentei as cervejas.

Algumas estavam com boa pressão, outras quase chocas.

Todas com aroma e sabor puxando pro fermento e com muita borra no fundo.

LIÇÕES APRENDIDAS

  1. Faça o mosto garantindo que as rampas, a água e os nutrientes (por exemplo, o Cálcio e o Zinco) estejam dentro da faixa ideal. Isso gera um meio saudável e nutritivo à levedura.

  • Veja meus posts sobre ÁGUA e LEVEDURA para saber mais sobre a importância dos sais.

  1. Use um fermento o mais novo possível. Mas mesmo fermentos próximos da validade ou que acabaram de vencer ainda podem ser aproveitados. Nesses casos, faça um starter.

  2. Tenha controle de temperatura ou ponha o fermentador em um local da casa onde haja a menor variação térmica possível. E que seja a mais próxima possível da temperatura de fermentação recomendada pelo fabricante ou pela sua receita.

  3. Se o airlock cessar atividade com 3 dias não quer dizer que a fermentação parou. Muitos processos ocorrem depois que o fermentador para de borbulhar e, dependendo de vários fatores, esse encerramento de atividade pode ocorrer mais cedo ou mais tarde.

  4. Se todos os itens anteriores forem seguidos, não despejar outro pacote de levedura. Isso traz muito mais desvantagens que vantagens.

  5. Guarde as garrafas num local que, se porventura estourarem, causem o menor estrago possível.

 

Sabia que eu posso ir até sua casa, empresa ou evento e fazer a cerveja? Vamos fazer juntos uma cerveja e usar esse conhecimento na fabricação?

Acesse a área 'Solicitar Serviços' e contrate-nos, seja para um curso sobre como fazer cerveja, consultoria, aluguel de equipamentos ou atendimento.

 
2.523 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page