top of page
  • Foto do escritorEduardo Amorim

Especial Estilos – Pilsen (Parte 1)


Saiba porque Pilsen é o estilo mais influente na história da cerveja e como surgiu.

 

Uma água incrivelmente suave, malte bem claro, lúpulos nobres e a baixa fermentação levaram à criação desse estilo leve, para todas as ocasiões e que, por sua adaptabilidade, caiu no gosto popular e ganhou o mundo, começando pelas nações da Europa.

 

Introdução

De modo geral, a pilsen é uma cerveja clara, amarelo-palha, beirando o dourado, com espuma opaca e branca.

Possui corpo leve, refrescante e lupulado. Seu aroma é rico e complexo, destacando o malte. Quanto ao amargor, é sutil, com um toque floral e condimentado dos lúpulos da região.

Cervejas Pilsen

Alguns bons exemplares: sendo a Pilsner Urquel o carro-chefe.

 

História

Cervejas inconsistentes e insatisfação popular

Estamos na Boêmia, atual República Checa (Čechy em língua checa, Böhmen em alemão), onde, desde o séc. XIII se produzia cervejas do tipo ale (alta fermentação), que nem sempre mantinham consistência e por vezes geravam insatisfação dentre os consumidores.

Até que, em meados do séc. XVIII, com a Revolução Industrial, tudo começou a mudar. Nessa época os cervejeiros passaram a usar instrumentos como o termômetro e hidrômetro, favorecendo a consistência e qualidade de suas bebidas. Um deles foi Frantisek Ondrej Poupe, mestre cervejeiro que empregou esses instrumentos, o rigor científico e a padronização nos seus fabricos.

Some a isso os lúpulos nobres da região (como o Saaz ou o Zatec Red), a água bastante suave (baixo teor de sais), os maltes claros (das variedades Hanna e Kniefl e que usavam tecnologia inglesa na malteação) e, assim, o terreno estava pronto para o surgimento da Pilsen ... só que não...

Curiosidade: Por séculos, os duques da Bavária aplicaram a pena de morte a quem fosse pego contrabandeando rizomas de lúpulo para fora da região.

 

A Revolução Lager

Dos 4 elementos-chave, um ainda não possuía a devida qualidade: a levedura. Naquela época (por volta de 1840), a região da Boêmia tinha o conhecimento e matéria-prima apropriados, mas eles ainda usavam um mix de culturas de levedura ale para a fermentação, deixando os resultados ainda insatisfatórios.

Foi quando chegou uma nova técnica, vinda de Munique, e que trouxe a solução: a fermentação em baixas temperaturas. Dessa forma, os bávaros perceberam que a chave do sucesso estava na fermentação.

Aliado a isso, em 1842, um monge trouxe à região amostras de levedura lager e forneceu aos mestres cervejeiros esse último elemento que faltava para a produção da Pilsen.

Alpes Suíços Lagerung

Curiosidade: em meados do séc. XVI algumas cervejarias de Munique armazenavam nos Alpes, durante o inverno, suas cervejas em adegas frias e úmidas a fim de serem consumidas no verão. Tal processo era o lagerung, daí veio o termo LAGER. Esse processo, além de deixar a bebida mais límpida e agradável, provocou a seleção natural de leveduras adaptadas ao frio, que trabalhavam no fundo do fermentador, ou seja, favoreceu o cultivo das leveduras de baixa fermentação.

 

De Plzeň para o mundo

A fim de fabricar uma cerveja de qualidade e consistente, em 1839 o governo fundou a Mestansky Pivovar Plzeň (em Alemão: Bürger-Brauerei, em Português: Cervejaria do Povo, agora Pilsner Urquell) e contratou o mestre Josef Groll, pela sua experiência no uso dos maltes claros e na fermentação a frio.

Exatamente em 11 de novembro de 1842 ele apresentou uma nova bebida, clara, carbonatada, com sabor acentuado e refrescante, nascia a Pilsen ou Pilsner, cujo nome de batismo só foi dado anos depois e em homenagem à cidade de Plzeň, caindo imediatamente no gosto popular.

Como se não bastasse, a fabricação de vidros evoluíra e, assim, surgiam as taças transparentes. A agradável clareza em tons dourados da pilsen pôde ser vista plenamente, influenciando ainda mais sua divulgação.

Da Boêmia para o mundo foi uma questão de tempo. Impulsionada pelas inovações trazidas pela Revolução Industrial, como a melhoria nos sistemas de refrigeração e nos meios de transporte, a produção cervejeira saiu do patamar doméstico, saltou para o industrial, caiu no gosto do consumidor e ganhou o mundo.

Fábrica da Pilsner Urquell

Curiosidade: Josef Groll, inicialmente, preparou dois tipos de cerveja, uma výčepní (densidade entre 1.028-1.040) e uma lezak (densidade entre 1.044-1.048), dobrando a produção da menor delas. A výčepní é o tipo de cerveja mais consumido atualmente na República Checa.

 

Nessa primeira parte falei um pouco sobre a história dessa cerveja.

Aguardem o próximo capítulo, quando darei dicas para produzir a sua pilsen perfeita.

 

Referências

ZAINASHEF, Zamil; PALMER, John J. Brewing Classic Styles. Brewers Publications, 2007 DANIELS, Ray. Designing Great Beers. Brewers Publications, 2000 MORADO, Ronaldo. Larousse da Cerveja. Lafonte, 2009 MOSHER, Randy. Tasting Beer. Storey Publishing, 2017

 

Sabia que eu posso ir até sua casa, empresa ou evento e fazer a cerveja?

Fale conosco.

Acesse a área 'Serviços' e contrate-nos, seja para um curso sobre como fazer cerveja, consultoria, aluguel de equipamentos ou atendimento a eventos.

164 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page